Era uma vez O Lobo Leitor

O Lobo Leitor nasceu há alguns anos noutro lugar. Foi e ainda é um projecto muito acarinhado que coincidiu com a minha reincidência na aventura da maternidade. De certo modo, foram os meus filhos que me aproximaram do prazer que a Literatura e a Ilustração para os Leitores mais Jovens me proporciona.

Na anterior morada, havia problemas de ordem técnica que tornavam moroso o processo de publicação. Optei por mudar de casa. Mas estou lenta nas mudanças. Daí ainda nem todos os conteúdos do Lobo Leitor estarem aqui. Mas podem aceder a eles
ALI.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

A árvore literária das crianças


Marta Cabrol

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Mães são as maiores influenciadoras da leitura na infância, indica pesquisa brasileira


Ilustração vintage de 1920's



"A quarta Edição da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pelo Instituto Pró-Livro ao Ibope Inteligência, investigou o comportamento dos leitores brasileiros e os maiores influenciadores dos hábitos de leitura do brasileiro.

Os resultados indicam que o hábito de leitura dos pais têm forte influência na construção do hábito de leitura dos filhos, e que a figura da mãe é bastante importante no estímulo ao prazer da leitura, somada à figura do pai ou de um outro parente pode-se perceber a influência da família na formação de leitores.

De acordo com a pesquisa, 33% dos respondentes sofreu a influência de alguém para começar a gostar de ler. Destes 33%, 11% afirmam que a mãe ou um responsável do sexo feminino influenciou o gosto pela leitura; 7% dizem terem sido influenciados por um professor ou uma professora; e 4% dos entrevistados alegaram ainda que o pai ou o responsável do sexo masculino foi o influenciador.

A pesquisa aponta ainda que, em relação ao hábito de leitura dos pais, 17% dos entrevistados lêem com frequência, 24% lêem às vezes e 53% nunca lêem".

terça-feira, 5 de julho de 2016

Livro infantil, que causou protestos nos EUA, sai em Portugal




O livro para crianças 'Três com Tango', sobre a história verídica de um bebé pinguim criado por uma família de dois pinguins do mesmo sexo, e que causou polémica nos Estados Unidos, é editado agora em Portugal.

'Três com Tango', escrito por Justin Richardson e Peter Parnell, com ilustração de Henry Cole, foi publicado originalmente em 2005 e, desde então, tem sido premiado, mas também alvo de tentativas de censura por abordar questões relacionadas com a adopção por casais do mesmo sexo.

No livro, os autores transpõem a história verdadeira, ocorrida há mais de dez anos no jardim zoológico do Central Park, em Nova Iorque, onde dois pinguins do mesmo sexo fizeram um ninho e tentaram chocar uma pedra. O tratador dos animais colocou um ovo no lugar da pedra e os dois pinguins acabam por formar família e adotar uma cria de pinguim.

A história verídica foi amplamente noticiada pela imprensa americana e chamou a atenção de Justin Richardson, psiquiatra, e do marido, Peter Parnell, dramaturgo, que decidiram depois escrever um pequeno conto para crianças.

Por fazer referência à homossexualidade e à constituição de uma família por casais do mesmo sexo, "Três com Tango" foi alvo nos Estados Unidos de mais de 500 queixas para que fosse retirado ou banido das bibliotecas escolares ou locais.

Na altura, a Associação de Bibliotecas dos Estados Unidos admitiu que mais nenhum outro livro para crianças teve tantas queixas como este nos Estados Unidos. Ainda assim, a associação distinguiu-o como um dos melhores livros de 2006.

Por imprimir valores sobre tolerância, respeito, individualidade e direito à constituição de família, 'Três com Tango' somou vários outros prémios nos Estados Unidos.

Com tradução de Gabriela Rocha Alves, 'Três com Tango' é editado em Portugal pela Kalandraka e recomendado para crianças a partir dos quatro anos.


Saiba mais AQUI.


sexta-feira, 1 de julho de 2016

"Memórias de Um Lobo Mau" que vai andar por aí a partir de 4 de julho



Quem disse que o Lobo Mau das histórias para os mais pequenos sempre foi mau? Não terá apenas ganhado fama? Pela mão do conhecido autor português José Fanha, o Lobo Mau vem contar a sua aventura e desmistificar a ideia de que ele sempre foi um dos vilões mais terríveis das histórias de encantar. As maravilhosas ilustrações são da premiada Mafalda Milhões.

Era uma vez um Lobo Mau... mesmo muito, muito mau!
Mas será que foi sempre assim?
Não contes este segredo a ninguém, mas a verdade é que o Lobo Mau dos contos de fadas nem sempre foi um dos vilões mais terríveis.
Houve tempos em que era apenas um lobo pequenote, cheio de sonhos, ambições e esperanças. O que ele queria mesmo era viajar pelo mundo e escrever a sua própria história. Mas a vida não está fácil para os lobos!
Não acreditas?
De aventura em aventura, entre episódios hilariantes, e outros aterradores, fica a saber toda a verdade sobre as origens do Lobo Mau, reveladas em primeira mão pelo próprio.
GRRRRRRRAAAAAAAUUUUU!

Memórias de Um Lobo Mau | 40 pp | 11,99€ | Saída 04 julho
Editado pela Booksmile

quarta-feira, 29 de junho de 2016

XIV Palavras Andarilhas 2016: em Beja em Agosto



Mais informação AQUI.



"As Palavras Andarilhas são uma festa da Palavra – lida, escutada, contada – que de dois em dois anos se faz em Beja – a cidade dos Contos. Este encontro é promovido desde 1999 pela Câmara Municipal de Beja através da Biblioteca Municipal de Beja José Saramago e pela Associação para a Defesa de Património da Região de Beja e assume-se hoje como um grande momento de aprendizagem colectiva, em torno da promoção da leitura, da narração oral e da literatura.


Porque fazemos as Palavras Andarilhas?

Para promover a relação e reforço de competências dos mediadores de leitura que em diferentes contextos desenvolvem a sua actividade facilitando a partilha de saberes e experiências e de novas práticas e atitudes face à animação e promoção do livro e da leitura;

Para potenciar o ganho de competências na abordagem da palavra – falada e escrita – que se traduzam na criação de novas estratégias na formação de leitores;

Para valorizar o conto, na sua vertente de tradição oral de recriação da palavra escrita, e os contadores e aprendizes do contar – enquanto veículos da expressão da memória, cultura e afectos das comunidades;

Porque acreditamos no contributo da palavra, da literatura, da arte em geral para a formação do Homem Novo.

A quem se dirigem as Palavras Andarilhas?

A todos os que potenciam a relação com a palavra e fazem dela um instrumento de reflexão sobre o MUNDO: bibliotecários, técnicos de biblioteca, narradores, animadores sócio – culturais, ilustradores; agentes educativos e pais, leitores e não leitores e à cidade de Beja".

Fonte

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Artes nas Férias do Verão - OS ALQUIMISTAS DAS HISTÓRIAS - 4 a 8 e 11 a 15 de julho



CCB/FÁBRICA DAS ARTES


Artes nas Férias do Verão
OS ALQUIMISTAS DAS HISTÓRIAS
Associação Partilha Narrativa/ Livraria Gatafunho


JULHO
4 > 8 e 11 > 15
10 às 17h (acolhimento a partir das 9h30 no espaço Fábrica das Artes)

Com Antonella Gilardi, Rita Raposo, Inês Tarouca, Inês Lapa, Rodolfo Castro
Inscrições através do telefone 213 612 899 ou do e-mail fabricadasartes@ccb.pt

Alquimistas, mágicos, encantadores, cantadores… contadores! Contadores de histórias vão dar vida contigo a relatos reais, irreais e triviais, em oficinas de narração, de música, de artes plásticas e de escrita criativa. As palavras, o corpo, as formas, a música e as cores vão habitar estas oficinas. Com elas vamos mergulhar juntos no mundo das histórias. Com materiais simples e algum truque na manga vamos criar “O Livro dos Livros”, o resultado alquímico de onde cada um vai tirar a sua história, para encantar, no último dia, os ouvidos e os olhares dos presentes.